Geografia de oportunidades e a estruturação da oferta educacional: uma análise comparativa entre bairros de uma cidade brasileira

 

Autores
De Paula, Gustavo Bruno; Mendes, Igor Assaf
Tipo de recurso
artículo
Estado
Versión aceptada para publicación
Año de publicación
2014
País
Argentina
Institución
Universidad Nacional del Centro de la Provincia de Buenos Aires
Repositorio
RIDAA (UNICEN)
Descripción
A segregação espacial nas cidades atua como um forte mecanismo de reprodução da desigualdade social, ao formar barreiras tanto físicas quanto simbólicas sobre a distribuição das oportunidades sociais, principalmente nas grandes cidades e metrópoles. Sendo a Educação Formal um recurso central na questão das desigualdades sociais, a distribuição das ofertas escolares nos centros urbanos também pode funcionar como um mediador dos processos de desigualdade educacional ao fazer com que os indivíduos estejam mais ou menos distantes de determinados serviços e/ou equipamentos educacionais. Em relação a esse fenômeno, uma nova abordagem sociológica da educação, calcada sobre a relação entre as desigualdades urbanas e escolares, tem procurado investigar justamente o efeito de determinadas características da configuração socioespacial do entorno sobre a vida escolar dos estudantes e, mais amplamente, os efeitos dos processos de segregação territorial na socialização dos jovens e na acentuação da desigualdade da distribuição espacial de equipamentos públicos – dentre estes as próprias instituições escolares. Tendo isto em vista, os possíveis efeitos do entorno poderiam ser observados tanto do ângulo dos estudantes, sendo a vizinhança uma instância socializadora, como do ponto de vista das escolas, em relação à distribuição desigual das oportunidades de acesso a estabelecimentos de maior ou menor qualidade. Essa linha de pesquisa tem sido apontada como uma terceira tradição de estudos de Sociologia da Educação – tendo a primeira se dedicado a investigar os efeitos das desigualdades familiares sobre a escolarização, e a segunda o efeito dos programas, currículos e dinâmicas da escola sobre a aprendizagem dos estudantes. A partir dessa perspectiva, uma nova questão passa a ser abordada pela Sociologia da Educação: quando e em que condições o lugar de moradia pode se transformar em vantagem ou desvantagem escolar? Quando o lugar em que uma família reside pode oferecer obstáculos materiais (escassez da oferta escolar) e/ou simbólicos (os estigmas sociais inscritos em determinadas regiões da cidade) à escolarização dos alunos e, inversamente, quando pode resultar em benefícios aos mesmos? Trata-se, portanto, de procurar compreender as especificidades das desigualdades escolares quando situadas no nível socioespacial. Neste trabalho, procuramos responder essa questão utilizando a noção de Geografia de Oportunidades, um dos conceitos adotados por essa terceira tradição, e apresentamos resultados que revelam uma situação de desigualdade socioespacial no interior da regional Barreiro, situada na cidade brasileira de Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais. Focamos especificamente em duas de suas áreas ou sub-regiões, comumente denominadas como Barreiro de Baixo e Barreiro de Cima. A opção por essa região se deu pelo fato de a mesma apresentar uma relativa diversidade socioeconômica da população moradora e uma extensa oferta escolar, ainda que desigualmente distribuída, sendo, portanto, um campo que possibilita a investigação dos efeitos derivados da desigualdade de distribuição de bens físicos e simbólicos no espaço urbano sobre a vida dos indivíduos. A partir da elaboração de mapas temáticos evidenciamos o contraste da distribuição de renda na regional Barreiro e também do nível de instrução da população. Também foi elaborado um mapa da configuração da oferta de oportunidades escolares de Ensino Básico disponíveis nos bairros que compõe a regional, o que deixou em evidência a existência de uma geografia desigual de oportunidades na mesma. Após este levantamento foi possível observar que as disparidades se estendem também a diferenciações quanto à qualidade de suas escolas públicas, inferida a partir dos resultados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) - índice criado pelo Governo Federal, composto pelo resultado de avaliações de larga escala e indicadores de fluxo escolar - e também do Nível Sócio-Econômico (NSE) do alunado desses estabelecimentos. Dessa forma, foi possível constatar uma situação de desigualdade de oportunidades educacionais nas duas sub-regiões comparadas, que pode influenciar as trajetórias escolares dos alunos cujas famílias residem nessas áreas.
Idioma
portugués
OAI Identifier
oai:RIDAA:123456789/207
Enlace del recurso
http://www.ridaa.unicen.edu.ar/xmlui/handle/123456789/207
Nivel de acceso
Acceso abierto
Materia
Brasil
Desigualdad social
Educación formal
Sociología de la educación
Calidad de la educación
Barrios